Publicada em 31/08/2018

Em conferência do CCJA, Fredie Didier apresenta principais desafios para o futuro da advocacia

Seccional

Didier foi um dos integrantes do painel Uma Nova Advocacia Para um Novo Processo Civil, realizado na tarde de quinta (30)

O professor Fredie Didier Jr. foi um dos integrantes do painel Uma Nova Advocacia Para um Novo Processo Civil, realizado na tarde de quinta-feira (30), durante a I Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana. De acordo com o palestrante, dentre os desafios que a classe encontrará no futuro se destacam a robotização, a transmutação argumentativa e as mudanças no relacionamento entre os advogados.

Sobre a robotização, ele conta que o Direito está passando por um momento histórico para se posicionar num mundo em que robôs estão se tornando pessoas. Ele lembrou um caso ocorrido na Arábia Saudita, onde um robô aprovado no Teste de Turing teve reconhecida a sua personalidade jurídica.

"Escritórios de advocacia de massa se transformaram em outro tipo de negócio, comparado com a velha advocacia, e boa parte do trabalho é feito por robôs que não têm 13º salário, férias, não engravidam, não se estressam e que erram menos do que os seres humanos", afirmou.

No que diz respeito à argumentação, ele afirma que num passado não tão distante argumentar juridicamente era algo mais simples, uma vez que se baseava apenas em textos legais expressos, razoavelmente claros e diretos. Hoje, no entanto, o Direito está composto por uma pluralidade de fontes normativas.

"Temos as fontes dos precedentes, dos negócios, dos costumes, as leis, a Constituição. Diante disso, a pergunta que eu faço é: vocês estão preparados para argumentar juridicamente em situações peculiares que exigem, por exemplo, a concretização de princípios e de textos normativos abertos e vagos?", indagou.

Em relação ao tratamento entre os colegas, Fredie Didier Jr. conta que a sua geração foi educada juridicamente para tratar a outra parte como inimiga, mas que essa ideia deixou de fazer sentido. Ele detalhou que a transformação na forma dos advogados de partes contrárias se tratarem vem sendo impulsionada pela disseminação da solução consensual dos conflitos e pelo fato do Código de Processo Civil trazer possibilidades das partes construírem o melhor processo para ambas.

"Eu acredito que esses três desafios são exemplares do futuro que todos iremos viver. A advocacia é uma profissão espetacular, que não cabe acomodação e eu espero que vocês jovens permaneçam por muito tempo no Direito e reflitam sobre essas questões", concluiu.

Criatividade e flexibilização
No mesmo painel, foi apresentada por Paula Sarno a palestra O processo flexível e a advocacia criativa, que destacou as mudanças no mundo do Direito em relação às soluções para os problemas."Há algum tempo temos observado um movimento mundial de flexibilização, onde existe uma tendência de adaptação dos processos às necessidades que surjam no caso concreto", disse.

Nesse mesmo contexto, a advogada Sabrina Dourado trouxe o tema As redes sociais como meio de prova no Processo Civil moderno. Em sua apresentação ela citou diversos casos onde conversas, postagens e outra manifestações via internet determinaram o desfecho de processos. "Vivemos imersos no que posso chamar de bolha virtual. Nos relacionamos através das redes sociais, firmamos relações contratuais através do WhatsApp e nós advogados e advogadas devemos atentar para isso".

O advogado Rodrigo Salazar contribuiu com a palestra Juizados e Precedentes Judiciais, que buscou municiar a jovem advocacia com instrumentos que esclareçam a dinâmica e a aplicação dos precedentes no âmbito dos juizados. "Os jovens militam muito nos juizados e percebo que há certa dificuldade de entender o que se aplica e o que não se aplica do CPC", concluiu.

Outras atividades
Ao longo da tarde do segundo dia da conferência foram realizados ainda os painéis A Advocacia e as Sociedades de Advogados; Panorama Atual da Advocacia no Interior do Estado e Perspectivas para o Futuro; e Perspectivas para a Advocacia da Sociedade Pós-Moderna. Além disso, o publico presente pôde visitar os stands do evento e conhecer um pouco mais a respeito do trabalho desenvolvido pela Procuradoria e Comissão de Prerrogativas, ESA e CAAB.

Fotos: Angelino de Jesus/OAB-BA

Leia também:

Jovem advocacia se reúne na manhã do segundo dia de conferência estadual

Auditório lotado marca abertura da I Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana

Conferência Estadual da Jovem Advocacia reúne nomes de peso do Direito brasileiro

Programação da I Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana

Festa de Encerramento da I Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana

Tel:  (071) 3329-8900
Fax: (071) 3329-8926

Rua Portão da Piedade, nº 16 (Antiga Praça Teixeira de Freitas) Barris - CEP: 40.070-045 - Salvador / Bahia / Brasil

OAB 2013 - Todos os direitos reservados